Início / Entrevistas / Underground Lusófono entrevista: Pekagboom

Underground Lusófono entrevista: Pekagboom

Saudações mundo do Rap, Hoje trago-vos uma entrevista feita exclusivamente por nós, espero que gostem e conheçam mais sobre o artista entrevistado.

Para quem nunca ouviu as músicas do Artista, Assista os Vídeos e Baixe o Álbum.

Vídeos:

PEKAGBOOM- Mãe Africana (Vídeo Clip)

Música , Produção: Paulo Ferro
Instrumental: Luxuz

Vídeo, Produção: Mattias Petullá
Estúdio: VISAGE

Assista mais Um vídeo:

PEKAGBOOM FT G DA WELLA- Vítimas da Ganância (Vídeo Clip)

Produção: 4frame Comunicação e Imagem

 

Gostaste ?
Agora baixe o ÁLBUM: BANHO PÚBLICO.


Para baixar clica em download.

             DOWNLOAD

Agora vamos ao que realmente Interessa. Antes da entrevista, leia a biografia do artista:
BIOGRAFIA: PEKAGBOOM

Percio Sousa Neves e Silva, conhecido por Pekagboom, é um rapper São-tomense, nasceu a 5 de Fevereiro de 1985 em Luanda, Angola, mas foi em São Tomé e Príncipe que viveu a sua infância e adolescência. Com uma paixão incomensurável pelo estilo musical rap, Pekagboom começou a sua actividade musical em Portugal, no bairro social ” Quinta do Mocho” em 2003, formou o grupo Imperio Suburbano. Pekagboom juntamente com outros filhos da emigração Africana, é conhecido como um rapper de intervenção, aborda temas de cariz social e político, normalmente as desigualdades Sociais, direitos Humano, corrupção, etc etc…, É visto no mundo da arte de rimar como sendo um activista no Rap, tendo como principais referencias rappers como Valete, Azagaia, Sam The Kid, Kid MC, Kendrik lamar,Eminem, Nas.. e seu grupo IMPERIO SUBURBANO.

Actualmente tem 1 álbum e uma mixtape editados a solo e varias participações. Com cantores Nacionais e Internacionais.

Pekagboom é um dos pilares do grupo Império Suburbano mais actualmente segui a sua carreira a solo, depois de ter lançado em 2007 Álbum 7 minutos para mudança. O seu Grupo foi homenageado com a música que da o titulo ao álbum pela Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa Portugal.

A primeira Mixtape do Pekagboom foi lançada em 2010, intitulado Brasa/Parlamento Verbal.

Mixtape esta que propõe a vida do artista um novo desafio e lhe convidado pelo Programa Escolha para trabalhar como dinamizador comunitário do Bairro Social Quinta Do Mocho.

Para trabalhar com nova geração na aria da música rap incentivando a criação de batidas e rimas de carácter positivo a sociedade. Dando-lhe oportunidade de crescer e conviver em formações com músicos na altura mais Profissionais.

Em 2016, Pekagboom lançou oficialmente seu Primeiro Álbum titulado Banho Público, em são Tomé e Príncipe no espaço CACAU.

Single do álbum lançado em 2015 “MUALA PLEGIDA” foi nomeado para 2 categorias do STPMUSICAWARDS 2016 como melhor música rap e melhor compositor.

Em 2017 a musica “Sem-Abrigo” e Vergonha remix tambem foram nomeada para os STPMUSICAWARD´S na categoria Melhor Video clip/Melhor Rap a musica ( Sem-Abrigo).

Melhor colaboração a Musica ( Vergonha Remix) com participação de uns dos Pioneiros do rap Santomense Jedy Blindado e Waik Maik do antigo Grupo STPRAPPER´S.

PEKAGBOOM é Considerado um dos rappers mais influentes do panorama do Rap São-tomense.

Fim de BIOGRAFIA .

Depois de muito conversarmos, achamos necessário FAZÊ-LO algumas perguntas.

Cá vai as perguntas :

1-Qual foi o primeiro contacto que Teve com o mundo do Rap Underground ?

R: Antes de mais desejo saúde e paz para todos sem excepção, em especial para todos meus seguidores nos Países Luso e não só, a vocês do Underground Lusófono, que lutam muito para manter esta cultura urbana viva.

É de salutar e agradecer sempre o que têm feito pela divulgação da cultura Underground.

Respondendo a vossa pergunta eu desde muito novo na era da adolescência penso eu, com meus 16 anos tive meu primeiro contacto com rap Underground através do Império Suburbano em Lisboa no Bairro social (Guetto) QUINTA DO MOCHO “Q.D.M” em 2001, 2002.

2-Como é o teu estilo e o que procura dar ao público?

R: Tenho um estilo muito próprio na minha forma de fazer rimas, e não é nada mais nada menos de dar ao publico a minha identidade nas músicas que faço, falando de assuntos sérios sem Tabus, o meu estilo de rap é de intervenção, gosto de compor o que realmente faz parte da realidade vivida por cada cidadão deste planeta sem maquiagem ou mera aparência.

As minhas músicas são de cariz social, relatam realidade social falando em igualdade, desigualdade, racismo, xenofobia, sofrimento e alegria de forma educadora à sociedade.

3-Vive somente da música ou tem outra profissão?

R: Nunca vive da música lol. Quem sabe um dia! Eu sou Técnico Comercial, formei em Publicidade e Marketing.

4-O que acha dessa “guerra” entre música trap vs underground?

R: Honestamente não vejo guerra nenhuma, nem sei o que é isso, Porque respeito o Próximo para ser respeitado, neste caso o que quero dizer é o seguinte: faço música apelando mudanças nos comportamentos sociais de forma a inspirar coisas positivas, por isso para mim o mais importante no rap é a mensagem construtiva mesma coisa no trap e no R&B Kuduro ou Kizomba, para mim lixo é música sem conteúdo lírico .Infelizmente, também existe Muitos Rapper Underground fazendo muita poluição sonora, então isto de TRAP VS UNDERGOUND só pode ser fomentada na cabeça das pessoas sem capacidades de avaliar boa Música e procuram fogo onde não há fumo.

5-Mesmo que não consiga ter sucesso na música, vás continuar a lutar até conseguir?

R: Não estou na música a procura de pão, por este motivo faço música porque amo, o resto a Deus pertence,(Risos) mesmo se amanha a minha música não for ouvida por um único ser humano continuarei a fazer na fé, minhas rimas ou melhor composição considero-lhe “Bíblia” são sempre baseada em valores.

Haverá sempre um ser na terra que acatará os meus conselhos.

a)- Qual é o seu objetivo como rapper?

R: Marca a diferença na vida das Pessoas, com as músicas que faço e nada mais!

6-A educação Universal deveria incorporar mais esses valores de questionar, de paixão pelo conhecimento?

R: Na Maioria dos homens infelizmente ainda perpetuam muita ignorância e pouco saber, nos queremos ser tudo e mais alguma coisa pensando que ser assim estamos no caminho da perfeição, quando esta mesma perfeição está em coisas mais simples da vida, como saber respeitar saber amar e perdoar, estas são coisas fundamentais que o músico tem que ter em mente se apela um mundo melhor.

São muitas cabeças vazias sem mínimo de consciência sobre o que é verdadeiro conhecimento, e todo homem tem o privilégio de questionar a sua educação quando ouve algo que possa deixar marca na sua vida em varias maneiras e a música influencia muito na educação Universal agora depende muito de pessoas para pessoas.

7-O rap não é apenas como arte ou produto, mas como um transformador de vidas, principalmente de crianças e adolescentes, recebe o valor que merece?

R: O Rap é uma Arma que pode salvar ou destruir agora depende do estilo do rap que gostas ou preferes consumir, eu não estou aqui para ser um moralista sem moral, o rap poderia sim ter valores maiores se alguns dos meus colegas que fazem esta arte linda de rimar o valoriza-se com o propósito que realmente foi criado. …

8-Que bom que você, através da sua arte, e milhões de pessoas lutam todos os dias para que isso mude. A questão é: Ainda estamos muito distantes do respeito absoluto?

R: Isto é como tudo cada vez pior não quero ser pessimista apenas realista o rap é o estilo musical mais influente em todo planeta terra, e cada um faz a sua maneira uns prostituem outros edificam-lhe e assim vai sempre ser, tudo depende da mente urbana e filosofia da maioria abrangem na sua percentagem por exemplo.

9-Já passou pela sua cabeça desistir de cantar?

R: Muitas vezes, mais o ADN não deixa acontecer é mais forte que eu (Risos)…

10-Qual foi o pior momento e o melhor momento da sua carreira?

R: foi quando percebi que já não podia contar com meu grupo Imperio Suburbano para continuar a levar a nossa música aos ouvintes, com passar dos anos muitos membros por força maior, tipo imigração trabalhos outras prioridades tiveram que distanciar, mais quando apercebi disto foi como tivesse a começar de novo.

O melhor momento foi a homenagem na 2ª Gala África is More 2017, onde fui premiado como melhor rapper de intervenção social no panorama africano PALOP do ano, reconhecimento este que não estava à espera, foi super especial foi um momento que nunca vou esquecer…

11-Como é a experiência de cantar rap Consciente?

R: Muito agradável, porque isto traz um sentido de responsabilidade acrescido tenho uma imagem a manter dentro do estilo do rap que faço, por isso a experiencia é muito boa.

12-O pensamento é o diálogo da alma consigo mesmo, já alguma vez deixou-se ser influenciado pela fama?

R: Tenho plena consciência se acontecer algo do género estarei a dar tiro nós pés.

E graças a Deus não sou uma Pessoa Influenciável, gosto sim de estar com as pessoas de forma simples sem nunca permitir que a fama afecte a integridade da minha Carreira…!

13- Quais foram os Rappers que motivaram-te a gostar de Rap?

R: VALETE, MCK, KID MC, AZAGAYA, MELO D, e muitos outros da velha escola….

14- Quais são os Rappers que gostarias que um dia trabalhassem consigo?

R: Eu honestamente não penso nestas coisas vou trabalhando quando tiver que convidar para fazer um trabalho convido, e não tenho muito por habito convidar Rapper por estatuto se for bom e se eu sentir que aquele rapper fica bem no trabalho que estou a desenvolver convido e a coisa fica feita, mais pronto dos meu favoritos que mencionei em cima talvez AZAGAYA E O VALETE.

15- Quais são os Produtores que tens uma certa admiração?

R: ProduSson seus beats é corpo para alma das minhas letras.

16- Já tiveste brigas com algum rapper conceituado? a) Se sim, justifica o porquê?

R: Felizmente nunca tive e nem vou ter, sou apologista da paz respeito amor ao próximo.

Rapper que entram em beefs são invejosos conflituosos, por esta razão nunca vou entrar nesta de brigas com quem for que seja, porque meu inimigo e o sistema ele é forte de mais para desviar atenção para outro lado menos interessante.

17- Para além da Música, tens algumas outras Paixões que algum dia gostarias de fazer?

R: Abri uma escola para formar Rapper de intervenções Conscientes assim como fizeram comigo em Portugal no Imperio Suburbano.

18- Por que, mesmo vivendo em Portugal, nas tuas músicas relatas factores verídicos sobre São Tomé/África ?

R: Sou um africano de raiz e muito sensível a injustiça não suporto desigualdade, e nossos Países Africanos precisam dos seus filhos para ajudar na reconstrução do mesmo, tenho a responsabilidade de frisar sempre de onde eu vim passando valores e minha identidade para que no futuro próximo haja mais africanos unidos, e como rapper de intervenção social esta também é uma das minhas missões levar meu pais para onde vou para que todos saibam que Pekagboom é proveniente de São Tomé e Principe.

19- Sobre o Site : UL Underground Lusófono, quais são os elogios e as críticas que tens para nós?

R: Desejo que continuem com este projecto maravilhoso rico e soberano culturalmente, cantado em uma só língua, em vários sotaques, cada vez mais longe..

E de reconhecer que O Site tem um grande papel na divulgação rápida e fácil do trabalho que fazemos que muitas vezes não toca na Rádio e nem passa na TV´s acho que todos os Rapper e MC´s e DJ´s, Produtores devem agradecer pelo trabalho maravilhoso que tem feito. Agora fanado da critica por favor Procuram conhecer mais Rapper de SÃO TOMÉ E PRINCIPE (Risos)…

20- Para terminar a entrevista, que mensagem você deixa para os seus fãs e não só, o mundo inteiro?

R: Agradeço de coração a todos que gostam e seguem atentamente o trabalho que faço em pro de todos nós, a você que teve acesso a esta entrevista e não me conhece faço o convite para pesquisar no Facebook, instagram, youtube e ouvir com atenção a voz da intervenção que vem de São Tome. Continuem dando aquele suporte pessoal, se hoje só Pekagboom é o que é ,graças a vocês ai em toda parte deste mundo.

Um abraço e que Deus abençoe as vossas vidas.

Agradecimento do Artista: Mais uma vez muito obrigado UNDERGOUND LUSOFONO pela oportunidade de ter esta entrevista maravilhosa.

Agradecimento da UL: Irmão, obrigado nós, estamos juntos nessa luta, mais uma vez agradecemos por mostrar disponibilidade para nos receber e ter aceite essa entrevista. Espero que continues a lutar e mudar o mundo, mostrando que África e não só, a Língua Portuguesa deve ser valorizada.
Obrigado também pelo elogio feito para o site Underground Lusófono e vou procurar melhorar concernente a sua crítica.

Fim de Entrevista.

 

Comentários

Sobre Carylson Alberto

Saudações, sou o Editor-chefe do site. Carylson Alberto é o nome do Registo, mas artísticamente sou conhecido como RMC, desde aos 9 anos de idade que apaixonei-me pelo Rap,daí decidi abraçar a essência do rap. Sou Bloguer, rapper, escritor e estou a me formar no curso engenharia de minas, na Universidade Agostinho Neto (Angola-Luanda). Queres que o site divulgue o seu projecto? Podes entrar em contacto comigo. Facebook: Carylson Alberto. Whatsapp: +244 922 390 278 email: resgatadormental@gmail.com

Além disso, verifique

Entrevista com PESADELO ATUAL

Grupo formado em 2006, diretamente da cidade de Gambé – Paraná, vem com letras pesadas, …

%d bloggers like this: