Home / Underground Lusófono Entrevista / Underground Lusófono Entrevista: TercerVoz

Underground Lusófono Entrevista: TercerVoz

15 anos no activo fazendo bom rap, TercerVoz é uma das maiores referência do Rap Caboverdiano. Pertencente ao grupo HipHop Art, TercerVoz tem dois projectos a solo nas ruas, a mixtape ”Limit eh Gloria” lançado em 2013 e o álbum “Soldad de Glória” lançado recentemente.
11822364_402835813255585_3451301813389848132_n
Quem é o TercerVoz?
TercerVoz nome artistico, Nivaldo Brito nome próprio, sou um elemento do grupo HipHop Art, grupo Sãovicentino.

Como e quando começa a tua trajectoria no Rap Krioulo ?
Eu comecei em miados de 1999 / 2000 uma fase complicada na minha vida onde quando eu e HipHop Krioulo tivemos o nosso primeiro encontro foi praticamente uma salvação.

O que é que te incentivou a fazer rap?
Na verdade não sabia o que me esperava quando decidi a escutar HipHop, mas ao longo de semanas viciado e entretendo acabei por descobrir que a maior incentivação foi a entrega da minha alma com amor, só assim poderia saber que o que me era sem duvida o maior acontecimento na minha vida.

Donde vem a tua inspiração?
A minha inspiração encontro na maioria das vezes numa profunda “Solidão”, ou seja quando estou sozinho é que nasce as maiores inspirações, as mais profundas ideias e originais e também quando estou sozinho é que conheço mais o meu ser.

Recentemente lançaste o teu primeiro álbum a solo, o “Soldad de Glória”. O porque do tema “Soldad de Glória”?
Soldad de Gloria é uma continuação do minha Mixtape “Limit eh Gloria” que eu lancei no ano 2013, eu gosto da palavra “Gloria” sim porque muitos dizem “Ceu é o limite”, mas na verdade não podemos dizer onde é o limite se nunca estivemos lá presente,Gloria é um Horizonte que habita em cada um de nós, é um objectivo que queremos alcançar, então para chegares ao alcance dos teus objectivos tens que ser um Soldado para percorrer e ultrapassar todas as barreiras e pedras no nosso caminho… lembro-vos que “um bom Soldado para de lutar só o seu coração parar de bater” ( essa frase é um retrato meu).

Qual é a mensagem que procuraste trazer para os Caboverdianos neste álbum?
As minhas mensagens, musicas, letras são baseadas em mim, são um reflexo do meu viver, do meu dia-a-dia, eu escrevo o que passa comigo o meu redor e tudo que me alegre e também me afecta, eu procuro com as minhas musicas corrigir a minha pessoa primeiro, segundo e terceiro só depois que preocupo em corrigir as outras pessoas, sim HipHop não é só sofrimento, mas tem aquela parte de alegria, é fácil encontra-la , ela habita em cada um de nós, musica é Terapia e cada Rapper é um psicólogo, mas isso depende de paciente que queres ou estas prestes a examinar, e nesse casso eu sou psicólogo e paciente da minha pessoa.
11109812_378149665724200_2566269426479862251_n
Quais foram as dificuldades que tiveste para lançar este álbum?
Financeiro é o problema maior se queres qualidade e profissionalismo no teu trabalho, hoje em dia tens os instrumentais para pagar só assim tens um trabalho originalmente teu, tens a Mix e Master do teu Álbum etc… mas foi passo a passo e as dificuldades forram diminuindo, do resto tudo foi um ano de trabalho duro e passivo que resultou esse grande trabalho .

Muitos desses anos da tua carreira foram dedicados aos HipHop Art. Como é que decidiste lançar o teu primeiro álbum a solo?
Sim eh meu primeiro Álbum a solo, mas em 2013 como disse lancei a minha Mixtape ”Limit eh Gloria”, todo Rapper quer de certeza um trabalho a solo, como praticamente todos do meu grupo já tinham um ou mais trabalhos a solo eu decidi dedicar também num trabalho a solo, mas sou HipHop Art ontem, hoje, amanha e sempre.

Como tem sido o feedback do público em ralação ao álbum?
Como em vivo na diáspora, não sei 100% a reação do povo nas ruas, mas sempre que entro nas redes sócias, os seguidores, amigos, conhecidos tem reagido duma forma extraordinária acerca do disco, penso que ate agora não ouvi opinião negativo, se ouve não sei, mas a positividade rodeia o meu disco e isso é extremamente importante, porque no Disco tem amor acima de tudo (Amor é o meu único chefe).

Todos rappers em Cabo Verde rimam em Kriolo (dialeto), e tu não foges a regra. Visto que Cabo Verde faz parte da CPLP (Comunidade dos países de Língua Portuguesa), e tem como a língua oficial o Português. Não sentes a necessidade de rimares deves enquanto em português afim de expandires mais o teu trabalho na Lusofonia, e para compressão das tuas letras em outras comunidades?
Sim faço parte do RAP Krioulo já a palavra Krioulo diz tudo, mas claro eu não me importava rimar em Português, porque não? Se em Cabo Verde nas escolas, nos lugares “importantes” nós utilizamos o Português, nunca aprofundei essa ideia, mas o amanha só pertence a Deus, se um dia for para fazer uma musica em Português,farei sim, o problema é o seguinte, os Caboverdianos como ouvintes são “atrevidos” se eu vivo em Cabo Verde ou em Portugal ou seja lá onde for, eu ir de ferias e falar só português, eles vão logo dizendo: ele esta armado em importante. Mas como já disse eu não sei o amanha, não é a opinião publica que decide suas escolhas, eu sou livre faço aquele que me apetecer, na maioria das vezes a minha musica é para me satisfazer primeiro, só depois procuro satisfazer as outras pessoas. Paz

Como tu vês o RAP Underground feito em Cabo Verde actualmete?
Sinceramente em Cabo Verde? Underground? Comercial? não sei o que é isso.

Para mim nesse tempo agora, não existe Underground ou Comercial porque não vejo mercado para isso, impossível viver de musica. Para mim existe é boa musica e mau musica isso sim existe, só nos resta saber escolher entre bom HipHop e mau HipHop, sim sempre existe aqueles “Rappers” se posso chama-los assim que fazem uma musica má de péssima qualidade e mesmos os amantes do HipHop ou pessoas que não gostam ouvirem a musica e já vão logo a julgar todos ou seja um faz e todos pagam… isso sim é a nossa realidade, em Cabo Verde o HipHop krioulo evoluio muito, mas certas mentes “Radicais” com opiniões pobres dizem que HipHop krioulo esta péssimo com esse algo de novo que está a acontecer, mas na verdade nada é novo em pleno Luz do Sol, sou HipHopper independentemente de Underground ou não…. faça musica com 100% positividade …..
Nunca esquecem — Amor é o meu único chefe.

O álbum “Soldad de Glória” encontra-se disponível em todas lojas digitais.
“Soldad de Glória” no Itunes
“Soldad de Glória” Download gratuito
http://www.facebook.com/tercervozz
http://www.soundcloud.com/tercervoz

Comentários

About Underground Lusófono

HipHop/Rap Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal,Timor-Leste, São Tome e Principe.

Check Also

Underground Lusófono entrevista: Pekagboom

Underground Lusófono entrevista: Pekagboom

Saudações mundo do Rap, Hoje trago-vos uma entrevista feita exclusivamente por nós, espero que gostem …

Underground Lusófono Entrevista: Khronic

Underground Lusófono Entrevista: Khronic

Boas pessoal! Trago-vos mais uma entrevista inédita, desta vez com o rapper moçambicano Khronic. Antes …

Underground Lusófono Entrevista: Zero Beatz

Underground Lusófono Entrevista: Zero Beatz

Boas pessoal! Trago-vos mais uma entrevista inédita, a primeira de 2018, desta vez com o …

Underground Lusófono Entrevista: Shak Shura

Underground Lusófono Entrevista: Shak Shura

Boas Pessoal! Trago-vos mais uma entrevista inédita, desta vez com o rapper angolano Shak Shura. …

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: