Home / Rap Brasil / Coletivos assinam manifesto em denúncia às mortes de três MC´s em João Pessoa (Brasil)

Coletivos assinam manifesto em denúncia às mortes de três MC´s em João Pessoa (Brasil)

O HIP HOP FALA!

 

Em meio à pandemia do vírus COVID-19, o povo preto e favelado tem que lidar com mais violências ainda para se manterem vivas e vivos. Para além do vírus, o genocídio, que nunca cessou.

Nosso inimigo não é apenas o invisível, ele é também visível e trabalha para o Estado que nos genocida todos os dias. Neste cenário de violências e desvalorização da vida do nosso povo preto e favelado três Mc’s, dois pais, todos filhos, dentre eles um com apenas 18 anos foram mortos. Perdemos assim três vozes denunciantes, que foram silenciadas de maneira brusca e violenta. Estas três mortes estão direta ou indiretamente interligadas, pois todos eram atuantes no Movimento Hip Hop de João Pessoa, no Estado da Paraíba. A morte deles é uma perda para nossa cultura, nosso movimento e as suas respectivas famílias. São mães contrariando a ordem natural, enterrando seus filhos. São filhos que crescerão sem a presença de seus pais. As perdas são inestimáveis. Gacs, Jhonny e Mesak serão lembrados por nós e por suas famílias. Sabemos que nosso Estado, infelizmente, é um dos que mais mata jovens pretos e favelados o que nos reforça esse sentimento de que coincidência não existe, menos ainda em um intervalo tão curto entre mortes de pessoas pertencentes a mesma cena.

É fato que para além de diversão, nosso movimento transforma pensamentos e vidas, numa troca de saberes entre rimas de rap, poesias e danças. Ocupamos praças, em dias e bairros diversos na nossa cidade, fazendo com que cada dia da semana tenha ao menos uma Batalha de Rap acontecendo na cidade de João Pessoa. Somada a isso, temos ainda edições de Slam’s que acontecem esporadicamente, além das outras atividades pertencentes ao Movimento que estão ativas na cidade.

Tendo em vista que já tivemos atuação violenta em algumas batalhas da cidade, a exemplo temos a Batalha da Terça (valentina) e a Batalha do Coqueiral, acreditamos que há uma intenção de desestruturar e desarticular o nosso Movimento como um todo. Os alvos são, principalmente, organizadores, Mc’s, poetas, e todos que estão envolvidos de forma ativa. Dentro do nosso movimento temos crianças, jovens, adultos, de gêneros distintos, incluindo pessoas não-binárias.

Este documento é um pedido de atenção para com nossas vidas e também de uma investigação mais aprofundada sobre essas mortes já acontecidas. Que nenhum e nenhuma mais de nós sejamos mortas e mortos precocemente. Estamos em luta para que nosso sangue não seja mais derramado.

 

Nossa revolta é por nossas vidas! Nossa voz não cessará!

 

Assinam esse documento:

Movimento Hip Hop de João Pessoa Movimento Hip Hop Cabedelo Movimento Hip Hop de Campina Grande Batalha do Bairro (JP/PB)

Batalha da BR (JP/PB) Batalha do Castelo (JP/PB) Batalha do Coqueiral (JP/PB) Batalha do F1 (JP/PB)

Batalha do Half (Cabedelo/PB) Batalha da Lagoa (JP/PB) Batalha do Nani (JP/PB) Batalha da Paz (JP/PB) Batalha do Pedregal (CG/PB)

Batalha da Resistência (Tianguá/CE) Batalha das Quebradas (CG/PB) Batalha Nós por Nós (Queimadas/PB) Batalha do Prado (CG/PB)

Slam Subversivo (JP/PB) Slam das Minas Parahyba Slam Parahyba

Slam da Paz (JP/PB)

Slam da Balbúrdia (CG/PB) Slam Subterrâneo (Marília/SP)

Slam Peixe Podre (Carapicuiba/SP) Slam Jandira (Jandira/SP)

Slam Emancipado (Itapevi/SP) Slam do Ponto (Patrocínio/MG) Slam Mossoró (RN)

 

Slam Rima Central (RN)

Abayomi Coletiva da Mulher Negra na Paraíba Ateliê Multicultural – Elioenai Gomes Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB/PB) ADUFPB

Bamidelê Organização de Mulheres Negras na Paraíba Batuque Ayan

Barras Maning Arretadas

Comissão de Direitos Humanos e Educação Popular da UFPB Coletivo Integrado dos Centros Acadêmicos (CICA/UEPB) Centro Acadêmico de História Eduardo Galeano (UEPB) Centro Acadêmico de História João Pedro Teixeira (UFCG)

Centro Acadêmico de Ciências Sociais Florestan Fernandes (UFPB/Campus I) Coletivo Alguma Coisa (CG/PB)

Comunidade do Quarenta (CG/PB) Confraria de Malagrida Cosmopopéia

Coletivo Tanz (CG/PB) Coletivo Cabedelo Forte Coletivo Gertrudes Maria Coletivo RealRap ( Macaé RJ) CORDEL

Diretório Central dos Estudantes (UFCG) Enegrecida Projeto

Federação do Movimento Estudantil de História (FEMEH) Flor da Parahyba

Fórum Setorial do Audiovisual Paraibano Fórum Paraibano de Juventude Negra Frente de Ação Resistência Livre ( Macaé RJ)

 

Fórum dos Fóruns de Cultura da Paraíba Fórum de Mulheres em Luta da UFPB

Fórum Paraibano de Promoção da Igualdade Racial (FOPPIR) Frente de Diversa Religiosa PB

Grupo de Pesquisa e Extensão Loucura e Cidadania da UFPB Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Maria Quitéria (PB) Levante Popular da Juventude Paraíba

Movimento de Mulheres Negras da Paraíba

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST Paraíba) Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD Paraíba) Movimento Correnteza (PB)

Movimento Popular

Marcha da Negritude unificada da Paraíba

Movimento Varadouro Cultural Movimento Negro de Campina Grande Núcleo de Estudantes Negras e Negros (NENN/CCAE/UFPB)

Maracá Cidadania (PB) Negritude Unificada da Paraíba Neabi UFPB

NEP

PSOL Nacional

Pachamamá Coletiva de Mães

Projeto de Extensão Flor de Mandacaru da UFPB Pro-reitoria de Cultura – PROCULT – UEPB

PSOL Paraíba

#PAREMDENOSMATAR – Pelo Fim do Genocídio da Juventude Preta, Pobre e Periférica SINTECT/PB

Terra Livre

União da Juventude  Rebelião Unidade Popular pelo Socialismo – UP

Comentários

Sobre: Carlos Mossoró

Leave a Reply

%d bloggers like this: